31 ago 2016

Eventos alternativos do DW! 2016 dão uma amostra do enorme potencial do design brasileiro

Deixe seu comentário aqui!

O design brasileiro vive um grande momento, tanto em âmbito nacional quanto internacional. Como você já deve saber, nossa equipe de criação esteve em São Paulo na primeira quinzena de agosto e acompanhou de perto as novidades do maior evento de design da América Latina, o Design Weekend (DW!) 2016. Entre as mais de 250 ações e exposições simultâneas que espalharam-se pela cidade de São Paulo entre os dias 10 e 14, algumas destacaram-se pela originalidade, outras pela beleza e outras ainda pela sintonia com as mais atuais tendências de comportamento.

Criatividade sem limites

No tradicional bairro Vila Madalena, o prédio da Escola Britânica de Artes Criativas (EBAC) – projetado pelo arquiteto Isay Weinfeld – foi o palco da exposição Metamorfose, exclusiva do designer paulista Rodrigo Almeida. Com um histórico de exposições importantes em grandes centros como Paris e Milão, Almeida provocou um olhar para o design, para a moda, para a arte e para a arquitetura com a exposição Metamorfose. Confira algumas imagens da mostra:

Prédio da EBAC, palco para o designer Rodrigo Almeida exibir suas peças (à dir e abaixo.): 

Metamorfose 1  Metamorfose 2

Metamorfose 3

Metamorfose 5

Metamorfose 6

A convite da grife de tapetes by Kamy, diversos designers integraram a exposição O Fio da Meada, um estudo da relação entre design, arte e pessoas como essência para o trabalho de criação. O denominador comum dessa relação é o homem com suas mãos e sua mente: tudo é válido se pensado por ele e feito para ele. Os designers convidados foram: Tarsila do Amaral, Patrícia Kattan, Ian Diesendruck, Francesca Alzati, Luiz Pedrazzi, Gustavo Jansen, Afsaneh Modir Amani, Hederian Studio e Lila Valadan.

Destaques

Tarsila do Amaral, sobrinha-neta da pintora modernista brasileira de mesmo nome, apresenta sua releitura de desenhos e ícones da sua obra em almofadas, tapetes e tapeçarias produzidas pela by Kamy. Tarsilinha reuniu e elencou diversos elementos característicos da arte da tia-avó, que na década de 20 chocou o país com a sua produção irreverente. As almofadas e tapetes são peças modernas e descontraídas, com grafismos e desenhos da artista.

tarsila 1

A arte de tecer e todos os seus processos, da fiação e tingimento à confecção, são atividades mais que presentes na vida de Patrícia Kattan, motivo de um amor contínuo revelado em sua vontade de sempre produzir uma peça nova e com uma história própria.

patricia 1 patricia 2

Aproveitando o dinamismo e o entusiasmo natural da criação jovem, Ian Diesendruck trouxe para a mostra um Tapete Fechecler, uma peça modular idealizada pelo designer e produzida no Atelier by Kamy. É um tapete com personalidade, em que cada pessoa monta o design de acordo com seu estilo e gosto – um grande diferencial.

ian 1 ian 2

Sustentabilidade diferenciada

Voltando à High Design Expo – que recebeu os vencedores da 20ª edição do Prêmio Salão Design e que foi destaque em nosso post da semana passada – outra empresa que apresentou uma coleção surpreendente foi a Molio, com sua linguagem bastante geométrica e diferenciada.

A Molio é uma empresa jovem, criada em 2014 com a preocupação de ser sustentável e acessível. Ao usar madeiras de reflorestamento e distribuir para seus clientes mudas de árvores nativas com a intenção de promover a compensação ambiental, a empresa crê em um modelo diferente de negócio: a ideia é trazer vantagens para todos os envolvidos na cadeia produtiva. Confira alguns trabalhos:

Molio 1

Molio 3

Molio 2

Sem comentários para “Eventos alternativos do DW! 2016 dão uma amostra do enorme potencial do design brasileiro”

Deixe seu comentário