19 set 2012

A história do papel de parede

8 comentários

O papel de parede surgiu na China, aproximadamente 200 anos antes de Cristo. Era rudimentarmente produzido com papel de arroz, totalmente branco, portanto sem qualquer tipo de detalhe decorativo. Posteriormente, ele passou a ser produzido com o pergaminho vegetal, ganhando cores e motivos. As pinturas do papel eram feitas à mão por artesãos, e depois vieram os carimbos de madeira decorativos, que eram embebidos em tinta para imprimir os desenhos. As tiras resultantes desse trabalho eram então coladas nas paredes, em substituição das originais que ornavam os palacetes de mandaris e ricos comerciantes.

A Europa passou a ter mais contato com a China a partir dos séculos XVI e XVII, e o papel de parede surgiu no continente europeu pelas mãos de comerciantes árabes, que aprenderam com os chineses a sua produção. Passou a ser usado para decorar parte das paredes, janelas e portas, substituindo as telas e as tapeçarias.

Até 1500, haviam limitadas variações de papéis de parede com temas chineses na Europa; daí a expressão chinoisserie.

Com a chegada de artistas renascentistas italianos na França, a convite de Francisco I, surgiram os padrões totalmente europeus. Contudo, as folhas continuavam a ser demasiado pequenas e a qualidade da reprodução, mediana; tudo em um ritmo de produção muito lento.

Em 1630, foi inaugurada a primeira fábrica de papel de parede, a Papel-Toutisses, na cidade de Roven, França.

Em 1675, o gravador francês Jean Papillon aplicou na fabricação dos papéis o mesmo princípio utilizado na gravura: a passagem dos desenhos para blocos de madeira, possibilitando também o uso da cor sem restrições técnicas. Coloridos e baratos, os papéis de parede foram usados em bolsas, originando uma moda que definitivamente se popularizou no século XVIII.

Em 1770, foi inaugurada em Paris uma fábrica de papéis pintados e flocados.

Em 1870, Juan Zuber instalou na comuna francesa de Rixheim uma fábrica de papel de paredes que funcionou até 1939, na qual foram aperfeiçoadas as técnicas de impressão com corantes. A fábrica de Zuber também lançou o primeiro rolo com mais de quatro metros lineares de papel de parede pronto para uso. Em 1634, a Inglaterra iniciou sua produção em Cambridge. Os primeiros papéis multicoloridos foram impressos em 1750. Em 1783, a chamada Manufatura Real empregava cerca de quatrocentos artesãos. O Chippendale, inspirado pelo rococó francês, passou a ser o papel mais vendido e procurado de Londres, mas era muito variado. Em 1814, veio a máquina de impressão, criada por Konig, inovando e melhorando o processo de fabricação do papel. A máquina de Konig espalhava com precisão fibras de algodão e seda sobre a tinta ainda fresca, resultando, pela transparência e sobreposição, motivos com relevo. Assim surgiu o chamado flock.

A mistura entre padrões e suportes levou a indústria, a lançar o papel para crianças e o lavável. Firmas inglesas da época, como Jeffrey and Company ou a Shand Kydd, ficaram famosas.

No Brasil, o papel de parede apareceu devido à forte imigração européia no final do século XIX. Porém, até 1930, a importação desse produto era pequena, em função dos altos custos, sendo em seguida esquecido por anos. Em 1960, com a modernização da indústria brasileira e com a redução dos custos, o papel tornou-se um popular revestimento decorativo de paredes.

[slideshow gallery_id=”3″]

Confira os maravilhosos modelos que nós oferecemos, aqui.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

8 Comentários para “A história do papel de parede”

  1. Silvia Brognoli says:

    Olá…é muito bom poder contar, apartir da história de nossos produtos no mundo. De onde viemos e para onde vamos!!!
    Obrigado pelas informações.

    • Felipe says:

      Olá, Sílvia! Agradecemos o seu contato :) É ótimo poder passar as nossas informações adiante. Visite nosso blog quando quiser, temos sempre novidades quentinhas sobre nossos produtos e o segmento de decoração e arquitetura em geral.

      Um grande abraço.

      Equipe Porto Design.

  2. william says:

    Lembrando,
    Que as paredes tem que ta massada ou lisa,livre de tintas oleo,infiltraçao e movo
    Quando melhor tiver o acabamento da parede,melhor e a instalagem…

  3. Iracema says:

    Olá, gostaria de citar esse texto da história do papel de parede, por gentileza me envie a referência. Como devo citar? Desde já muito obrigada.

  4. Vinicius Araújo says:

    Boa tarde, estou fazendo meu TCC sobre papel de parede, realmente essa materia me ajudou muito, mas preciso de mais coisa, sera que vocês tem algum livro para me indicar que conta mas detalhada a historia do papel de parede, com os tipos de papel tambem etc…. preciso de algo bem detalhando pra me apoiar em minha fonte de pesquisa…..aguardo resposta obrigado

Deixe seu comentário